Contactos
Escola Secundária Camilo Castelo Branco-Largo dos Freitas 5000-657 Vila Real
259321928

Oferta Formativa

Consulte informações sobre a oferta formativa

Documentos

Consulta e download de documentos e formulários.

Legislação

Consulte a legislação em vigor

MOODLE CFAEvr

 


 

DIVULGAÇÃO

JORNADAS PEDAGÓGICAS - Pensar e agir localmente na busca do sucesso educativo
Professores do Agrupamento de Escolas de Murça

Colóquio

 

15.0 horas

 

Presencial

 

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Professores do Ensino Secundário e Professores do Ensino Especial

Agrupamento de Escolas de Murça

Após a pandemia urge criar no Agrupamento uma visão integradora dos aspetos que importa acautelar para que a escola possa ser um espaço de verdadeira aprendizagem. Partindo da realidade local, baseada no processo de autoavaliação, que o Agrupamento faz de forma sistemática, das apostas efetuadas nos anos ...
Ler mais Ler menos

Ref. 1521 Inscrições abertas até 05-09-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116839/22

Modalidade: Colóquios; congressos; simpósios; jornadas ou iniciativas congéneres

Duração: 15.0 horas

Início: 06-09-2022

Fim: 09-09-2022

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas de Murça

Formador

Manuela Maria Portela da Gama

Humberto Óscar Parreira do Nascimento

José Alexandre de Sá Pacheco

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Professores do Ensino Secundário e Professores do Ensino Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Professores do Ensino Secundário e Professores do Ensino Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Razões

Após a pandemia urge criar no Agrupamento uma visão integradora dos aspetos que importa acautelar para que a escola possa ser um espaço de verdadeira aprendizagem. Partindo da realidade local, baseada no processo de autoavaliação, que o Agrupamento faz de forma sistemática, das apostas efetuadas nos anos letivos anteriores e nas novas realidades criadas pelas circunstâncias dos últimos anos importa fazer com que no Agrupamento sejam criadas e aperfeiçoadas metodologias e estratégias que permitam melhorar as aprendizagens dos alunos e criar condições de trabalho atrativas para os profissionais. Assim, iremos ao encontro do preconizado nos Decreto-Lei 55/2018, Decreto-Lei 54/2018, Perfil do Aluno à Saída da Escolaridade Obrigatória (PASEO); Aprendizagens Essenciais; Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania e de projetos como o MAIA (Monitorização, Acompanhamento e Intervenção em Avaliação Pedagógica), promovendo a motivação dos professores, dando-lhes ferramentas que possam usar ao serviço da melhoria das aprendizagens dos alunos.

Objetivos

Refletir acerca da autoavaliação do Agrupamento. Refletir sobre a flexibilização curricular como alicerce para o desenvolvimento das Aprendizagens Essenciais em articulação com o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória; Aperfeiçoar as práticas de avaliação pedagógica. Promover o trabalho docente sustentado em práticas colaborativas, designadamente através da constituição de equipas pedagógicas; Promover a implementação de práticas pedagógicas, com os alunos, promotoras da qualidade do sucesso escolar, recorrendo a metodologias ativas de aprendizagem; Diversificar e adequar práticas de avaliação das aprendizagens; Partilhar práticas relevantes de avaliação pedagógica das aprendizagens. Desenvolver a implementação de ferramentas para facilitar a avaliação formativa.

Conteúdos

6 de setembro 10.00-12.00 – Organização do ano letivo e discussão sobre a Autoavaliação do Agrupamento 14.15-16.15 - Autoavaliação; Projetos; DAC; PLANO 21|23 ESCOLA+, plano integrado para a recuperação das aprendizagens 7 setembro 14.30-17.30 – Matias Alves e Diana Mesquita – “Pensar e praticar o trabalho escolar como fonte de motivação: missão (im)possível?” 8 setembro 9.30-12.30 – Técnicas de avaliação formativa – Maria Helena Santos Silva; Fernando Pinto Lopes 14.30-17.00 – Ações educativas de sucesso - Manuela Gama 9 setembro 9.30-12.30 – A importância do feedback - Eusébio Machado

Metodologias

As Jornadas seguem a metodologia das jornadas anteriores. Tem uma sessão sobre o tema e a sessão seguinte é trabalho prático sobre o tema. A conferência e debate decorre no auditório municipal de Murça e o trabalho prático no Agrupamento de Escolas de Murça.

Avaliação

Os formandos serão avaliados de 1 a 10 tendo em conta a: Participação nos trabalhos; Relatório final de reflexão sobre um dos temas abordados.

Bibliografia

Brookhardt, S. (2013). How to create rubrics for formative assessment and grading. ASCD: Alexandria, Virginia.Brookhardt, S. (2008). How to give effective feedback to your students. ASCD: Alexandria, Virginia.Fernandes, D. (2011). Articulação da aprendizagem, da avaliação e do ensino: Questões teóricas, práticas e metodológicas.J. M. DeKetele & M. P. Alves (Orgs.), Do currículo à avaliação, da avaliação ao currículo, pp. 131-142. Porto: Porto Editora. [http://repositorio.ul.pt/handle/10451/6988]Fernandes, D. (2004). Avaliação das aprendizagens: Uma agenda, muitos desafios. Cacém: Texto Editores. [http://repositorio.ul.pt/handle/10451/5509]

Anexo(s)


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 06-09-2022 (Terça-feira) 09:30 - 12:30 3:00 Presencial

INSCREVER-ME

Curso de Primeiros Socorros e suporte básico de vida.
Professores do Agrupamento de Escolas Dr. João Araújo Correia

Curso

 

15.0 horas

 

Presencial

 

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores da Educação Especial

Agrupamento de Escolas Dr. João Araújo Correia

['Verifica-se que a grande maioria do pessoal docente não está preparado para lidar com este tipo\r\nde ocorrências, desconhecendo muitas vezes como prestar devidamente os primeiros socorros.\r\nPreparar tecnicamente este pessoal para um atendimento mais imediato e eficaz de uma criança\r\nacidentada na ...
Ler mais Ler menos

Ref. 153SBV-AEJAC-T1 Inscrições abertas até 05-09-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-113512/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 06-09-2022

Fim: 07-09-2022

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Dr. João Araújo Correia

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores da Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores da Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Razões

['Verifica-se que a grande maioria do pessoal docente não está preparado para lidar com este tipo\r\nde ocorrências, desconhecendo muitas vezes como prestar devidamente os primeiros socorros.\r\nPreparar tecnicamente este pessoal para um atendimento mais imediato e eficaz de uma criança\r\nacidentada na escola ou vítima de doença súbita, através da aquisição de conhecimentos na área\r\nde primeiros socorros é por isso deveras importante.\r\nDeverão então os professores estar preparados para prestar os primeiros socorros na escola, não\r\ndescorando também a necessidade de estarem alerta para as condições e fatores de prevenção\r\ndos mesmos e assim adquirir uma cultura de segurança para a qual se deve estar']

Objetivos

['\x95 Adquirir conhecimen tos na área de Primeiros Socorros;\r\n\x95 Promover a segurança, de modo a prevenir os acidente s;\r\n\x95 Desenvolver competências de resposta a situações de ac idente e/ou doença súbita.']

Conteúdos

1 \x96 SISTEMA INTEGR ADO DE EMERGÊNCIA MÉDICA\r\nTempo: 30\x92\r\n2 \x96 PRINCI PIOS GERAIS DO SOCORRISMO E PLANO DE ACÇÃO DO SOCORRISTA\r\nTempo: 60\x92\r\n3 \x96 SUPOR TE BÁSICO DE VIDA\r\nTempo: 180\x92\r\n4 \x96 ASFIXIA : ALGORITMO DE DESOBSTRUÇÃO DA VIA AÉREA\r\nTempo: 30\x92\r\n5 \x96 CHOQU E: CAUSAS E PRIMEIRO SOCORRO\r\nTempo: 30\x92\r\n6 \x96 HEMOR RAGIAS, FERIDAS E QUEIMADURAS\r\nTempo: 90\x92\r\n7 \x96 INTOXI CAÇÕES E PICADAS DE INSETOS\r\nTempo: 60\x92\r\n8 \x96 ACIDEN TES COM ELECTRICIDADE\r\nTempo: 30\x92\r\n9 \x96 LESÕE S MUSCULARES, ARTICULARES E ÓSSEAS\r\nTempo: 90\x92\r\n10 \x96 ALTER AÇÕES DE CONHECIMENTO, DOENÇAS CRÓNICAS E AVC\r\nTempo: 60\r\n11- SEGUR ANÇA E BEM-ESTAR NAS ESCOLAS\r\nTempo: 60\x92\r\n12 - BANCA PRÁTICA DE AVALIAÇÃO\r\nTempo: 180\x92

Metodologias

['Aulas teórico-práticas, com recurso a m etodologias participativas.']

Avaliação

['Assiduidade e participação 40%\r\nTrabalho produzido 60%\r\nResposta a um questioná rio elaborado para o efeito e avaliação do desempenho na banca prática.\r\nOs formandos serão avaliados utilizando a tabela de 0 a 10 valores, conforme indicado na Carta Ci rcular\r\nCCPFC \x96 3/2007 \x96 Setembro de 2007, utilizando os parâmetros de avaliação.']

Bibliografia

üINEM (2012). Emergências médicas: Manual TAS. Instituto Nacional de Emergência Médica. http://www.inem.pt/files/2/documentos/20140108171804724961.pdfüINEM (2012).Abordagem á vitima: Manual TAS/TAT. Instituto Nacional de Emergência Médica.http://www.inem.pt/files/2/documentos/20140108170327548015.pdfüINEM (2012). Emergências Trauma: Manual TAS. Instituto Nacional de Emergência Médica. http://www.inem.pt/files/2/documentos/2014010817232160071.pdfüINEM (2012). Normas e emergências pediátricas e obstétricas: Manual TAS. Instituto Nacional de Emergência Médica. http://www.inem.pt/files/2/documentos/20140108172029436503.pdfüINEM (2013). SIEM: Sistema Integrado de Emergência Médica. Instituto Nacional de Emergência Médica. http://www.inem.pt/files/2/documentos/20140108162916460041.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 06-09-2022 (Terça-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
2 06-09-2022 (Terça-feira) 14:00 - 17:00 3:00 Presencial
3 07-09-2022 (Quarta-feira) 09:00 - 13:00 4:00 Presencial
4 07-09-2022 (Quarta-feira) 14:00 - 18:00 4:00 Presencial

INSCREVER-ME

Oficina do exercício físico, em contexto escolar.
Professores de Educaçao Física da Escola Secundária S. Pedro.

Curso

 

25.0 horas

 

Presencial

 

Professores dos Grupos 260, 620

Escola Secundária S. Pedro Vila Real

['A prática de exercício físico tem-se revelado fundamental no desenvolvimento físico, psicológico e social, das crianças e jovens, e a sua continuidade na idade adulta passa pelas experiências positivas resultantes dessa prática nessas faixas etárias. Igualmente, a prática de exercício físico tem-se é ...
Ler mais Ler menos

Ref. 1491 Inscrições abertas até 01-09-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-114552/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 07-09-2022

Fim: 18-10-2022

Regime: Presencial

Local: Escola Secundária S. Pedro Vila Real

Destinatários

Professores dos Grupos 260, 620

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 260, 620. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 260, 620.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

CFAE de Vila Real

Razões

['A prática de exercício físico tem-se revelado fundamental no desenvolvimento físico, psicológico e social, das crianças e jovens, e a sua continuidade na idade adulta passa pelas experiências positivas resultantes dessa prática nessas faixas etárias. Igualmente, a prática de exercício físico tem-se é fundamental na promoção da saúde e na diminuição do risco de aparecimento de doença. Desta forma, torna-se pertinente a prática de exercício físico generalizada nesta população. A escola é o ambiente mais democrático para a promoção do exercício físico. Contudo, é importante que esse exercício físico seja prazeroso e capaz de ser efetuado com sucesso por todas as crianças. Para o efeito, foi introduzido nas escolas espaços de prática de exercício físico fora do contexto desportivo e mais voltado para a melhoria da condição física e promoção da saúde, podendo-se realizar nesses espaços atividades que outrora estavam confinadas aos ginásios, academias e health-centers. Contudo, a formação inicial dos Professores de Educação Física Escolar esteve mais voltada para a pedagogia e prática desportiva, tornando-se essencial a formação complementar em prática de exercício físico, não desportivo, direcionado para a saúde e bem-estar que propomos.']

Objetivos

['- Dotar os professores dos Ensinos Básicos e Secundário a serem capazes de avaliar, prescrever e controlar a prática de exercício físico para crianças e jovens, em oficina do exercício físico, em contexto escolar.']

Conteúdos

- Fisiologia da prática de exercício físico, em contexto de sala de musculação, com crianças e jovens;\r\n- Componentes do Exercício Físico;\r\n- Avaliação e planeamento do exercício físico, em sala de musculação, com crianças e jovens, em contexto escolar.\r\n- Aplicação prática de programas de exercício físico, em sala de musculação, com crianças e jovens, em contexto escolar.

Metodologias

['- Expositiva;\r\n\r\n- Promoção e incentivo à apresentação de temáticas relacionadas com os temas abordados;\r\n- Promoção da discussão sobre os temas abordados;\r\n\r\n- Abordagem prática dos conteúdos abordados.\r\n\r\n - Presencial']

Avaliação

['Os Formandos são avaliados de 1 a 10 de acordo com os regulamentos em vigor.\r\nEfetuar um programa de exercício físico, em contexto de sala de musculação, para um conjunto de crianças e jovens em contexto escolar.']

Modelo

A avaliação da ação é feita a partir de inquérito.

Bibliografia

- Stricker, P., Faigenbaum, A., McCambridge, T. (2020). Resistance Training for children and adolescents. Pediatrics, 145(6):e20201011- Zwolski, C., Quatman-Yates, C., Paterno, M. (2017). Resistance Training in Youth: Laying the Foundation for injury prevention and physical literacy. Sports Health, 9(5): 436-443Faigenbaum, A., Lloyd, R., D Myer, G. (2013). Youth resistance training: past practices, new perspectives, and future directions. Pediatr Exerc Sci. 25(4): 591-604Faigenbaum, A., Busch, J., Mcloone, R., Kreckel, M., Farrell, A., Ratamess, N., Kang, J. (2015). Benefits of strength. And Skill-based training during primary school physical education. J Strength Cond Res. 29(5): 1255-1262- Myer, G., Faigenbaum, A., Edwards, N., Clark, J., Best, T., Sallis, R. (2015). Sixty minutes of what? A developing brain perspective exercise approach. Br J Sports Med. 49(23): 1510-1516



INSCREVER-ME
206

Capacitação Digital de Docentes – Nível 3
Professores que receberam comunicação de posicionamento no nível 3

Oficina

 

50.0 horas

 

Presencial

 

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

CFAE Vila Real

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa ...
Ler mais Ler menos

Ref. 127_00_N3T1 Inscrições abertas até 08-09-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-110042/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 11-09-2022

Fim: 31-07-2023

Regime: Presencial

Local: CFAE Vila Real

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 24 de fevereiro, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Vila Real

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as competências digitais dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 3) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Pretende-se desenvolver com os docentes de nível 3 (C1/C2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e de processos que lhes permita potenciar as suas competências digitais na promoção de estratégias e ações inovadoras na comunidade educativa. São objetivos específicos: - formular estratégias pedagógicas inovadoras e promotoras das CD dos docentes e alunos; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - promover o desenvolvimento de ações que contribuam para os Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital das suas escolas; - promover e estimular a reflexão, a partilha e a utilização crítica das tecnologias digitais em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1 e 2. - Exploração de documentos de enquadramento das políticas educativas. - Discussão, renovação e inovação na prática profissional. - Reflexão em torno de conceitos relacionados com escolas, professores e alunos digitalmente competentes. - Utilização das tecnologias digitais na colaboração e inovação pedagógica ao serviço da comunidade educativa. - Estratégias e metodologias relacionadas com o desenvolvimento curricular através de ambientes e ferramentas digitais. - Estratégias digitais de caráter científico-pedagógico promotoras do desenvolvimento profissional dos docentes. - Planeamento de atividades didático-pedagógicas promotoras do desenvolvimento da competência digital dos alunos. - Conceção de Planos de Ação para o Desenvolvimento Digital: conceitos, metodologias de desenvolvimento, implementação, monitorização, avaliação.

Anexo(s)


Observações

A realizar a partir de Setembro 2022


INSCREVER-ME

206

A criança e o jovem com Diabetes mellitus tipo I na escola
Professores do Agrupamento de Escolas Dr. João Araújo Correia

ACD

 

5.0 horas

 

Presencial

 

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Agrupamento de Escolas Dr. João Araújo Correia


Ler mais Ler menos

Ref. 154Turma 1 Inscrições abertas até 12-09-2022

Registo de acreditação: CFAEvr-ACD 2022/11

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 5.0 horas

Início: 13-09-2022

Fim: 13-09-2022

Regime: Presencial

Local: Agrupamento de Escolas Dr. João Araújo Correia

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo
1 13-09-2022 (Terça-feira) 09:00 - 12:00 3:00 Presencial
2 13-09-2022 (Terça-feira) 14:00 - 16:00 2:00 Presencial

INSCREVER-ME
207

Capacitação Digital de Docentes – Nível 1
Nível 1 - turmas a realizar durante o ano letivo 2022-2023

Oficina

 

50.0 horas

 

Presencial

 

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Local a definir

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação ...
Ler mais Ler menos

Ref. 126_00_N1T20 Inscrições abertas até 09-09-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-110047/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 14-09-2022

Fim: 30-06-2023

Regime: Presencial

Local: None

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 24 de fevereiro, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Vila Real

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores da Comissão Europeia (doravante DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 1) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se, assim, criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de CD dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 1 (A1/A2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (B1/B2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes na utilização significativa de ambientes e ferramentas digitais e definição de estratégias diversificadas de integração destes em contexto educativo; - capacitar os docentes para a implementação de atividades promotoras da aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos.

Conteúdos

1. Documentos enquadradores das políticas educativas atuais associados ao Plano nacional de Transição Digital. 2. Envolvimento profissional: Exploração de opções digitais para colaboração e comunicação institucional e melhoria da prática profissional. 3. Recursos Digitais: Exploração, seleção e adequação de RED ao contexto de aprendizagem. Utilização de RED interativos. 4. Ensino e Aprendizagem: Exploração de estratégias de ensino e de aprendizagem digital. Integração significativa de RED na melhoria de atividades de ensino e aprendizagem. 5. Avaliação das aprendizagens: Exploração de estratégias de avaliação digital. Melhoria das abordagens de avaliação através de soluções digitais. 6. CD dos Alunos: Exploração de estratégias de promoção e uso pedagógico de tecnologias digitais. Utilização de ferramentas e estratégias para suporte ao desenho e implementação de atividades de promoção da CD dos alunos. 7. Planificação de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino.

Anexo(s)



INSCREVER-ME

207

Cidadania e Segurança Digital: projetos de intervenção em meio escolar
Educadores de Infância

Curso

 

50.0 horas

 

Presencial

 

Educadores de Infância;

CFAE Vila Real

Os jovens utilizam diferentes dispositivos digitais para realizar as mais diversas atividades na internet. A rápida mudança dos ambientes digitais desafia-os a promover mudanças nos seus comportamentos, em especial os associados à socialização. Desafios que envolvem riscos, por vezes ignorados ou ...
Ler mais Ler menos

Ref. 146_Digital_T1 Inscrições abertas até 09-09-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-104611/19

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 15-09-2022

Fim: 14-12-2023

Regime: Presencial

Local: CFAE Vila Real

Destinatários

Educadores de Infância;

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância;. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 24 de fevereiro, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Razões

Os jovens utilizam diferentes dispositivos digitais para realizar as mais diversas atividades na internet. A rápida mudança dos ambientes digitais desafia-os a promover mudanças nos seus comportamentos, em especial os associados à socialização. Desafios que envolvem riscos, por vezes ignorados ou descurados, quanto à segurança online e que se apresentam como ameaças constantes à sua privacidade e segurança pessoal e dos seus dados pessoais. As autoridades têm alertado no sentido da necessidade de desenvolver iniciativas de sensibilização e informação da comunidade educativa, em especial dos jovens, que os consciencialize para os riscos inerentes aos fenómenos e comportamentos adotados, assumindo a escola um papel preponderante nesta função.

Objetivos

As temáticas articulam-se com o referencial de aprendizagens associadas ao trabalho das bibliotecas escolares junto da comunidade ao nível dos conhecimentos e capacidades relacionadas com a literacia mediática, assim como com a estratégia nacional de Educação para a Cidadania. Pretende-se desenvolver competências digitais e criar espaços de reflexão que proporcionem a exploração de recursos e ferramentas, bem como a conceção de planos de intervenção que envolvam estas temáticas em contexto educativo. Pretende-se ainda debater estratégias de sensibilização dos alunos para a Cidadania Digital, bem como refletir acerca da integração curricular e transversalidade das temáticas relacionadas com a utilização das tecnologias digitais.

Conteúdos

Módulo 1: Dimensão portuguesa da rede Insafe. Iniciativas e recursos do projeto SeguraNet. Linhas de apoio. Módulo 2: Potencialidades das tecnologias móveis. Fenómenos, desafios e comportamentos de risco associados às tecnologias e ambientes digitais. Tecnologias emergentes. Módulo 3: Atividades de promoção da literacia digital e de práticas seguras em ambientes digitais. Segurança nainternet na Biblioteca Escolar e em Cidadania e Desenvolvimento. Direitos de autor e direitos conexos. Licenciamento Creative Commons. Plágio e estratégias de pesquisa orientada. Identidade, privacidade e pegada digital. Módulo 4: Integração transversal das tecnologias digitais no currículo, nas atividades educativas e no quotidiano dos alunos. Iniciativas no âmbito da segurança digital. Desenvolvimento de projetos de cidadania digital na escola. Módulo 5: Avaliação e reflexão. Apresentação, partilha e reflexão sobre os resultados obtidos pela implementação nas escolas dos projetos desenvolvidos na oficina.

Anexo(s)


Observações

A decorrer em junho/julho (a confirmar) e a partir de setembro de 2022


INSCREVER-ME

208
210

Capacitação Digital de Docentes – Nível 2
Nível 2 - turmas a realizar durante o ano letivo 2022-2023

Oficina

 

50.0 horas

 

Presencial

 

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

CFAEvr - Local a designar por turma

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa ...
Ler mais Ler menos

Ref. 124_N2T2022_2023 Inscrições abertas até 19-09-2022

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-110040/20

Modalidade: Oficina de Formação

Duração: 50.0 horas

Início: 19-09-2022

Fim: 31-07-2023

Regime: Presencial

Local: CFAEvr - Local a designar por turma

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário, Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 2053/2021, publicado a 24 de fevereiro, a ação de formação, pode relevar na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Entidade formadora/Parceria

Centro de Formação de Associação de Escolas de Vila Real

Razões

O Quadro Europeu de Competência Digital para Educadores, da Comissão Europeia (DigCompEdu), pretende promover a competência digital (CD) e a inovação na educação. É essencial que os docentes desenvolvam um conjunto de CD, de modo a tirar partido do potencial das tecnologias digitais. Esta ação visa contribuir para desenvolver as CD dos docentes do sistema educativo e formativo nacional (nível 2) e a sua capacidade para implementar estratégias inovadoras de ensino e de aprendizagem. Ambiciona-se criar condições favoráveis a práticas educativas que se revelem promotoras do desenvolvimento de competências digitais dos alunos. Conjuntamente com esta formação, serão submetidas outras duas, articuladas ao nível da progressão dos conteúdos.

Objetivos

Esta ação de formação pretende desenvolver com os docentes de nível 2 (B1/B2 do DigCompEdu) um conjunto de conhecimentos e estratégias que lhes permita desenvolver CD do nível seguinte (C1/C2 do DigCompEdu). São objetivos específicos: - promover o desenvolvimento, aprofundamento e densificação das CD dos docentes, tendo em vista as 6 áreas do referencial DigCompEdu; - capacitar os docentes para a realização de atividades com tecnologias digitais em diferentes modalidades de ensino; - capacitar os docentes para a implementação de atividades que promovam a aprendizagem e o desenvolvimento das CD dos alunos; - estimular a reflexão, partilha e utilização crítica das tecnologias em contexto educativo.

Conteúdos

Os conteúdos da ação surgem, em sentido articulado e incremental, com os conteúdos da formação de nível 1. - Documentos de enquadramento das políticas educativas. - Envolvimento profissional: Discussão, renovação e inovação na prática profissional. Processos de liderança na era digital. - Recursos Educativos Digitais (RED): Utilização de estratégias e RED avançados de forma abrangente. Promoção da utilização de RED de forma colaborativa. - Ensino e Aprendizagem: Renovação da prática de ensino de forma estratégica e intencional. Inovação no processo de ensino e de aprendizagem em diferentes modalidades de ensino. - Avaliação das aprendizagens: Reflexão crítica sobre estratégias de avaliação digital. Inovação na avaliação das aprendizagens com recursos a soluções digitais. - CD dos Alunos: Promoção da CD dos alunos de forma abrangente e crítica. Inovação no envolvimento dos alunos utilizando formatos inovadores para promover a sua CD. - Planeamento da formação e aprendizagem ao longo da vida.

Metodologias

As sessões presenciais são destinadas à exploração do DigCompEdu e reflexão sobre a articulação entre as áreas de competência; à realização de atividades práticas de partilha, suportadas por um ambiente colaborativo; à exploração de ferramentas digitais para o desenvolvimento de atividades de aprendizagem promotoras da colaboração, comunicação e avaliação; à planificação e criação de atividades a implementar na escola, que promovam o desenvolvimento das CD docente e, simultaneamente, dos alunos; à reflexão crítica sobre o desenvolvimento profissional docente. Em específico, na componente de trabalho autónomo, pretende-se assegurar a implementação das atividades planificadas nas sessões presenciais, em situações reais de ensino-aprendizagem com alunos, articulando o DigCompEdu com o respetivo currículo, e a reflexão sobre as práticas desenvolvidas. Na última sessão, os formandos apresentarão os resultados dessas atividades, com evidências, proporcionando-se a discussão e a partilha.

Avaliação

Aplicação do determinado no regime Jurídico da Formação Contínua de professores, Decreto-lei no 22/2014, de 11 de fevereiro, conjugado com o Despacho no 4595/2015, de 6 de maio e com o “Regulamento para Acreditação e Creditação de Ações de Formação Contínua. A classificação de cada formando será realizada na escala de 1 a 10 conforme indicado no Despacho n.o 4595/2015, de 6 de maio, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua e tendo por base a participação/contributos e o trabalho final individual elaborado e apresentado pelos formandos.

Anexo(s)



INSCREVER-ME

210